quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Clame Por Jesus- tradução da música :Cry Out To Jesus(Third Day)

Clame Por Jesus
Para todos aqueles que perderam alguém que amam
Muito antes de ser sua hora
Você sente que os dias que teve não foram suficientes
Quando se diz adeus
E para todos aqueles com aflições e dores
Que estão retornando para suas vidas
Você crê que não há nada nem ninguém
Que possa melhorar isso
Há esperança para aquele sem esperança
Descanso para o cansado

Amor para o coração partido
Há graça e perdão
Compaixão e cura
Ele irá lhe encontrar onde quer que você esteja
Clame por Jesus, clame por Jesus. Para o casamento que está esforçando-se para se manterEles perderam toda sua fé no amor
Eles fizeram tudo que puderam para consertar isso
Ainda assim não foi suficiente
Para aqueles que não podem quebrar seus vícios e correntes
Você tenta deixar, mas você volta

Apenas lembre-se que você não está sozinho em sua vergonha
E seu sofrimento Quando sua solidãoE isso parece ser o mundo inteiro caindo sobre vocêVocê apenas consegue,você apenas clama por JesusGrita por Jesus Para a viúva que se esforça estando sozinhaLimpando as lágrimas de seus olhos
Para as crianças por todo o mundo que não tem casa
Orem esta noite

O DEUS DOS QUE ESPERAM!

O DEUS DOS QUE ESPERAM

Esperei confiantemente pelo SENHOR; Ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. (Sl 40:1)



Esperar talvez seja a experiência mais desgastante para o ser humano. As
palavras de Davi, registradas no Salmo 40:1, revelam-nos que esse não é
um problema apenas de quem vive numa sociedade imediatista como a
nossa. Esperar sempre foi difícil.


A expressão do salmista traz toda a carga emocional que o envolvia,
enquanto aguardava pela resposta de Deus. Suas palavras apontam para um
estado de angústia, devido a uma espera prolongada. Toda a ansiedade de
Davi se justifica pela situação desesperadora em que se encontrava. Ele
comparou seu estado a um poço de perdição e um tremedal de lama (v.2).*Uma
pessoa inquieta e aflita. Era com essas características que Davi esperava por Deus. Sua ansiedade o fazia pensar, por vezes, que o Senhor
estava demorando demais para atendê-lo. Ele não hesitava em expor
diante de Deus o seu estado emocional; não negava seu sofrimento. E o
Senhor, que entendia , jamais o condenou por isso. Ele sabe o quanto
nossas emoções nos distanciam da perfeita compreensão de seu plano.


Você está sofrendo, enquanto espera por Deus? Está aflito, impaciente?
Acha que Deus se esqueceu de você? Davi se sentia assim também. Mas
preste atenção ao que ele diz, na sequência do verso: … Ele se inclinou
para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Deus não rejeitou o
ansioso e impaciente Davi. Também não rejeitará você. Ele é bondoso,
misericordioso (Sl 103:8) e sabe que seres humanos sentem ansiedade.

Deus não espera que você seja mais que um ser
humano. Ele espera que você se exponha diante d`Ele e lhe confesse o
quanto está impaciente, sem máscaras e sem fingimento. Para Deus, o
importante é que você seja sincero e assuma suas fragilidades diante
dele, jamais desista de confiar em suas promessas e nunca procure outro
tipo de socorro.(Texto de um irmão na fé).

sábado, 12 de novembro de 2011

Aline Barros vence Grammy Latino 2011

Aline Barros vence Grammy Latino 2011

Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
10/11/2011 | 21h45 | Grammy



Cantora Aline Barros da MK Musica ganha Grammy Latino 2011 por oliveirajeff no Videolog.tv.


(Vídeo do site vídeo blog)


A cantora gospel Aline Barros venceu a 12ª edição do Grammy Latino 2011. A premiação aconteceu na noite desta quinta-feira (10), no Mandaley Bay, em Las Vegas. A artista era a única representante da música evangélica no evento. Pelo Twitter, a Aline manifestou sua alegria: “Gente!!! O Grammy é nosso, glória Deus! Td mundo celebrando…ganhammmooooooooosssss o Grammy!"

Aline Barros foi a vencedora na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa com o CD " Extraordinário Amor de Deus". A cantora já conquistou três Grammy Latino com os CDs "Fruto de Amor", "Caminho de Milagres" e "Aline Barros & Cia 2".


Concorreram também: "Em Santidade", do Ministério Adoração e Vida; "Horizonte Vivo Distante", de Rosa De Saron, "Uma História em Canções", com vários artistas, e "Quando Deus se Calou", de Padre Zezinho.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

'Supercampeã olímpica', jovem de SP quer estudar astrofísica em Harvard

'Supercampeã olímpica', jovem de SP quer estudar astrofísica em Harvard
Estudante de 17 anos conquistou 30 medalhas em olimpíadas estudantis.
Filha de vendedora e cobrador de ônibus vai prestar USP e Unicamp.

Vanessa Fajardo




04/11/2011 06h10 - Atualizado em 04/11/2011 06h10


Do G1, em São Paulo

a href="http://3.bp.blogspot.com/-Oh3KKVibxQY/TrPqHLXp4-I/AAAAAAAAAmo/TJQfTIAJEtc/s1600/T%25C3%25A1bata.jpg">




Tábata Amaral, de 17 anos, participa de olimpíadas estudantis desde os 12 (Foto: Vanessa Fajardo/G1)Mais do que 30 medalhas conquistadas em olimpíadas de física, química, informática, matemática, astronomia, robótica e linguística no mundo todo, a estudante Tábata Cláudia Amaral de Pontes, de 17 anos, moradora de São Paulo, guarda lembranças, contatos, culturas e histórias dos amigos estrangeiros que fez por onde passou.

Bolsista do Etapa,Tábata que é filha de uma vendedora de flores e um cobrador de ônibus conclui em 2011 o terceiro ano do ensino médio e encerra a vida de "atleta." O próximo desafio é ingressar na universidade. A jovem quer estudar astrofísica e ciências sociais na Harvard University, nos EUA, ou em outra instituição de ensino superior americana. Está participando de oito processos seletivos para conseguir bolsa de estudos.

Com ciência é possível descobrir o mundo. Eu me sinto descobrindo o mundo e fico encantada com o céu"Tábata Amaral, estudanteTambém vai prestar física na Fuvest, medicina na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e engenharia de aeronaútica no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

As medalhas de Tábata estão guardadas na casa dos pais na Vila Missionário, Zona Sul de São Paulo, onde também estão os dois baús repletos de presentes que trocou com os participantes das olimpíadas na China, Turquia e Polônia, e em várias cidades brasileiras. Ela também coleciona moedas e notas em papel.

A primeira medalha foi uma de prata que veio aos 12 anos, em 2005, quando ela fez sua estreia nos torneios estudantis com a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). No ano seguinte, ganhou o ouro e bolsa de estudos da escola Etapa, onde vai concluir o terceiro ano do ensino médio neste ano. De lá para cá, foram dezenas de competições e títulos.

Dentre a coleção de prêmios, um dos mais especiais foi a medalha de bronze conquistada em julho deste ano no mundial de química na Turquia. Representantes de 70 países estavam na disputa. Outra medalha marcante foi o ouro da Olimpíada Ibero-Americana de Astronomia que foi realizada no Rio de Janeiro e Minas Gerais há duas semanas.

saiba mais

Jovem forma alunos para olimpíadas de educação em Santa Isabel, SPEstudante de 16 anos é aprovada em nove vestibulares para medicina"Gosto muito de participar das 'iberos', as pessoas são muito diferentes e muito incríveis. Ficamos amigos e a rivalidade não é tão forte como nos torneios mundiais", diz. Para Tábata, um dos piores resultados foi no mundial de astronomia na Polônia, quando conquistou uma menção honrosa, equivalente ao quarto lugar. A concorrência nesta competição foi acirrada, segundo ela, porque Irã e China, países favoritos, mandaram duas equipes cada um.

"Tenho oportunidade que quase ninguém tem e quando não dá certo fico chateada. Os meninos riem de tudo e aprendo muito com eles", diz Tábata, chorona assumida.


Tábata guarda presentes do mundo inteiro em dois baús e coleciona moedas (Foto: Vanessa Fajardo/G1)
Futuro
A vontade de estudar fora do país tem explicação. Além de conseguir a fluência no inglês e desfrutar da boa qualidade e infraestrutura de ensino, Tábata diz que em Harvard, por exemplo, poderá conciliar os estudos dos cursos de astrofísica e ciências sociais. Ela quer ser astrofísica para trabalhar com pesquisas do universo - sua grande paixão - e socióloga para ajudar pessoas, tocar projetos sociais e retribuir as oportunidades que teve na vida. Para a estudante, a formação em ciências humanas é fundamental.

Quero estudar em Harvard e voltar com riqueza cultural para mudar a educação do Brasil. Sei que vai ser muito difícil"Tábata Amaral, estudante"Com ciência é possível descobrir o mundo. Eu me sinto descobrindo o mundo e fico encantada com o céu. Como alguém pode ver o céu e não acreditar em Deus? É o que lugar onde ele mais se mostra, foi a coisa mais incrível que criou", diz Tábata, que é católica e participa ativamente das atividades da igreja.

Para Tábata, estudar em Harvard vai ser como participar de uma olimpíada por quatro anos consecutivos. "Se eu for aceita, vou estar numa sala onde a maioria dos alunos é estrangeiro. Quero estudar e voltar com riqueza cultural para mudar a educação do Brasil. Sei que vai ser muito difícil, não tenho boas ideias, mas posso ajudar nas pesquisas."

Exemplo para a mãe
Há pouco mais de um ano, Tábata quase teve de desistir da bolsa de estudos do Etapa. Os pais não tinham como arcar com as despesas de transporte e alimentação da filha. Desde então, o Etapa passou a custear um quarto em um hotel próximo à escola na Avenida Vergueiro, em São Paulo, e pagar o almoço da estudante. "Sou muito sortuda", diz.


Maria Renilda e Tábata exibem a coleção de
medalhas (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)Tábata costuma voltar para casa da mãe aos domingos, no período da tarde depois de dar aulas de matemática e astronomia para crianças das 5ª e 6ª séries de um projeto chamado Vontade Olímpica de Aprender (VOA) que ela criou.

O VOA reúne cerca de 100 alunos da rede pública de São Paulo que querem participar de olimpíadas. As aulas ocorrem sempre aos domingos de manhã em uma escola pública na Vila Mariana. Tábata orgulha-se em contar que alguns de seus alunos já ganharam medalhas e bolsas de estudo. Além dela, cerca de nove pessoas participam do projeto dando aulas de outras disciplinas.

"Eles são meu xodó. É muito lindo ver uma criança de 5ª série que ganha medalha e estuda porque que quer. Eu tenho todo apoio do meu colégio, mas eles não", afirma.

Até a mãe de Tábata, Maria Renilda Amaral Pires, de 40 anos, se inspirou na dedicação da filha. Maria voltou a estudar e neste ano e vai concluir o ensino médio junto com a garota. O maior desafio de ambas agora é vencer a saudade, caso Tábata realize mais um sonho: o de ser estudante da Harvard.

Lula: “com vocês me apoiando, vou vencer mais esta batalha”

Lula: “com vocês me apoiando, vou vencer mais esta batalha”




Ex-presidente da República agradece em vídeo a solidariedade e o carinho do povo brasileiro


Foto: Ricardo Sturket/Instituto Lula/ vídeo

Com aquela sua voz bem característica e bastante conhecida de todos, apenas um pouco mais rouco, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva gravou na sexta-feira um vídeo onde agradeceu o imenso apoio e solidariedade que vem recebendo da população, de políticos e autoridades de todo o mundo. “Eu quero mais uma vez agradecer ao povo brasileiro pelo carinho pela solidariedade”, disse.

Ele falou de sua doença e disse que: “O que aconteceu comigo é daquelas coisas que acontecem com todo mundo, mas a gente pensa que só acontecem com os outros, nunca com a gente”. “Eu estou preparado para enfrentar mais uma batalha e acho que nós vamos conseguir tirar de letra. Basta que a gente siga as recomendações médicas, que a gente faça aquilo que precisa ser feito. Eu acho que vou vencer essa batalha. Não foi a primeira nem vai ser última batalha que vou enfrentar. E com a solidariedade de vocês vai ser tranqüilo, vai ser mais fácil”, acrescentou o ex-presidente.

E Lula tem toda razão. A primeira sessão de seu tratamento, feito no Hospital Sírio-Libanês, ocorreu sem nenhum problema. Ele ficou dormindo todo o tempo, durante o qual recebeu a medicação, e não apresentou nenhuma reação negativa aos medicamentos.

Esse fato fez com que os médicos tomassem a decisão de continuar o seu tratamento em casa mesmo, em São Bernardo, na Grande São Paulo. A quimioterapia usada por Lula visa combater um câncer de laringe que foi diagnosticado no final da semana passada, após o ex-presidente queixar-se de uma dor de garganta e uma rouquidão persistente.

Na sua fala aos brasileiros o presidente continuou fazendo o que sempre fez quando esteve à frente do governo: pregou perseverança e otimismo como solução para os problemas do país. “Eu acho que a gente precisa continuar acreditando no Brasil, botando fé nesse país”, conclamou Lula. E acrescentou que “será inexorável a caminhada desse país para se transformar numa grande economia, na melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro”.

Ele defendeu que todos façam “o que tem que ser feito”: “Acreditar na nossa presidenta, ajudá-la, porque é assim que o Brasil vai pra frente”. “Não existe espaço para pessimismo”, disse Lula. “Não existe espaço para ficar lamentando... “ah, hoje o dia não foi bom”... Se o dia não foi bom hoje, a gente tem que fazer ele ficar melhor amanhã. Com muita garra”, salientou.

O presidente insistiu que sem luta não se consegue nada, não se vence os desafios. “Prestem atenção numa coisa”, disse. “Sem perseverança, sem muita persistência, sem muita garra, a gente não consegue nada. E nenhum ser humano pode ter esses pensamentos, por uma dor ou por um câncer. Ou seja, nós temos é que lutar. Afinal de contas foi pra isso que eu vim pra terra. Foi para lutar, para melhorar a vida de todo mundo”, completou.

Lula se despediu de todos mandando um abraço e marcando um encontro para breve: “até a primeira assembléia, ou primeiro comício, ou primeiro ato público”.

SÉRGIO CRUZ
(Fonte: Jornal Hora do Povo)

Fraternité: ''Nós amamos Lula'', brada Sarkozy

Fraternité: ''Nós amamos Lula'', brada Sarkozy






O presidente da França, Nicolas Sarkozy, pediu à sua colega brasileira, Dilma Rousseff, que transmitisse ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva votos de pleno e rápido restabelecimento do câncer na laringe recém-descoberto. 'Nós o amamos', afirmou Sarkozy, na abertura da reunião de cúpula do G20.

(Fonte:Reuters)